Busca

Protetor solar para cachorroNo verão aumentam as radiações UVA e UVB, e da mesma maneira que a pele humana necessita de cuidados e proteção para se expor ao sol, os cães e gatos também precisam. Animais de estimação são como crianças e não podem ficar ao sol por muito tempo, principalmente no horário entre as 10 e as 15 horas.

“Quando não cuidados, cães e gatos podem apresentar câncer de pele, assim como as pessoas. Da mesma forma que elas, existem algumas raças que são mais suscetíveis. O principal motivo para o aparecimento da doença é a exposição, sem proteção e exagerada, ao sol. Os animais com pele e pelagem clara ou albinos, focinho despigmentado e que ficam horas expostos ao sol são sérios candidatos ao câncer de pele”, explica o médico-veterinário Dan Wroblewski.

Regiões como focinhos, pontas de orelhas, abdômen, pele despigmentada e clara dos animais e outras áreas com escassez de pelos são as mais atingidas pelos raios ultravioletas e as que mais necessitam de proteção. “O câncer de pele pode manifestar-se como uma ferida que não cicatriza, apesar das tentativas de tratamento. Quando isso ocorre, é necessário fazer uma biópsia da lesão, para saber do que se trata aquele ferimento”, diz Dan.

Por esse motivo, cada vez mais os proprietários são orientados pelos veterinários sobre os riscos da exposição ao sol. Hoje em dia já existem protetores solares específicos para animais e eles são realmente necessários em casos como animais predispostos ao câncer de pele, ou seja, claros, albinos ou despigmentados. A recomendação é passear com o cão em horários antes das 11h e após as 15h. E não se esquecer de aplicar protetor solar tanto na pessoa quanto no animal.

 

 

Dan Wroblewski é médico-veterinário (CRMV-SP 4471) formado pela Unifenas e pós-graduado em Marketing pela Anhembi Morumbi. É integrante da equipe Brasileira de Agility.



Receba nossas notícias

Nome
Email


Quem somos|Publicidade|Fale Conosco