Busca

Como criar um gatoA alimentação dos gatos é importante, pois sua saúde e beleza dependem do tipo de alimentação que o animal faz.

Quem tem um gato quer estar sempre seguro de que as refeições que serve a ele são equilibradas para atender às necessidades de nutrição do animal. Isso só é possível com o uso do alimento especialmente preparado para ele. Hoje existem no mercado vários alimentos completos e equilibrados, que atendem totalmente às necessidades de nutrição dos gatos. Água fresca deve estar sempre à disposição do gato, qualquer que seja a dieta.

Os gatos diferem muito quanto à quantidade de alimento que necessitam, que varia conforme o tamanho, a raça, o estado e as características de cada animal. A maioria dos gatos está bem adaptada para controlar o alimento que ingerem em relação às suas necessidades. Como normalmente os alimentos industrializados têm uma alta aceitação, poderá ocorrer de o gato comer em excesso. Por essa razão, é sempre recomendável observar as indicações nas embalagens dos pacotes de ração.

Os gatos raramente se tornam gordos, mesmo sendo animais bastante preguiçosos. Mas os gatos castrados podem muitas vezes tornar-se obesos. Para evitar isso, é aconselhável reduzir a quantidade de comida e alimentá-los de forma mais equilibrada.
Higiene

A médica-veterinária Simone Carvalho dos Santos Cunha explica que os gatos são animais extremamente higiênicos e normalmente aprendem rapidamente a usar a caixinha sanitária. “É importante adquirir uma vasilha sanitária apropriada de acordo com o tamanho e o número de gatos. Colocá-la em um lugar tranquilo e de pouco trânsito de pessoas. Deve-se colocar pelo menos 3 dedos de profundidade de areia dentro da vasilha, pois eles gostam de enterrar os dejetos. Também é importante a limpeza adequada da vasilha, jogando fora diariamente os dejetos e trocando toda a areia existente a cada 7 dias. Deve-se ter 1 vasilha para cada gato, pois eles evitam usar a areia suja por outro gato. Sempre lavar bem as mãos após manipular a caixinha de areia, para evitar doenças como toxoplasmose, giardíase, entre outras”, explica.

Se o gato se recusar definitivamente a usar a caixa, deve-se alterar a sua areia/conteúdo. Existem alguns tipos diferentes de areia para as caixas higiênicas dos gatos, disponíveis para venda nas lojas de animais de estimação.

Os gatos são animais de estimação domésticos e relativamente autossuficientes. Por isso mesmo, ideal para lares de muito trabalho. Contudo, se não houver contato humano com os animais durante a maior parte do dia, é preferível ter dois gatos a apenas um, já que esses animais apreciam a companhia de seus semelhantes.

 

Vacinação

Os gatos devem ser vacinados enquanto jovens e revacinados anualmente. As doenças que fazem parte do esquema de vacinação do gato são a rinotraqueíte, calicivirose, panleucopenia, leucemia felina e raiva.


Primeiro dia em casa

primeiro dia do gato em casaQuando se adquire e leva-se um gato para casa, é recomendado o uso de uma caixa de transporte. É a forma mais segura para o dono e para o animal. Assim o gato se sente seguro e abrigado, já que nunca saiu de casa antes e, portanto, nunca se afastou de sua mãe e irmãos, e isso o deixa muito assustado e estressado. É recomendado planejar bem para que esta viagem até o novo lar seja o menos estressante possível e rápida.

Adaptar gatos novos a uma nova casa só requer amor e paciência. É melhor ter dois gatos a ter um só, pois um fará companhia ao outro e brincarão juntos, dando menos trabalho. Como os gatos não dão praticamente nenhum trabalho e dão poucas despesas, não há razão para ter apenas um. Eles sentirão falta da mãe e irmãos, por isso deve-se ser paciente e carinhoso, principalmente nos primeiros dias, para que se sintam bem e seguros no novo lar.

Às vezes os gatos não querem comer nos primeiros dias, até que se acostumem com o novo lar. É bom deixar sempre à disposição deles uma vasilha com leite.
Alguns filhotes levam algum tempo para se acostumarem com seus novos donos. Se o dono mora numa casa, é recomendado mantê-lo preso dentro de casa logo nos primeiros dias, pois assim ele não poderá fugir. A comunicação com o animal deve ser feita de forma gentil e calma.

 

Acomodação e perigos iminentes

A médica-veterinária Simone Cunha explica que, em primeiro lugar, é extremamente necessária a colocação de redes de proteção nas janelas das casas e apartamentos. “O gato é um animal muito curioso, e pode se acidentar caso não haja tela nas janelas. Também é importante manter sempre o animal dentro de casa para evitar a exposição a riscos externos, como atropelamentos, cachorros, envenenamento, doenças (por exemplo, AIDS felina, leucemia viral felina e esporotricose), entre outros”, afirma.

Simone também diz que dentro de casa deve-se ter cuidado com fios, incluindo barbantes e fitas. Gatos adoram brincar com eles e muitas vezes podem ter problemas sérios devido à ingestão. Também alguns tipos de plantas que são consideradas tóxicas para gatos devem ser evitadas em casa, como: abricó (damasco), azálea, botão-de-ouro, caládio, copo-de-leite, mamona, cereja (galhos, folhas, tronco, frutos e caroços), crisântemo, açafrão, narciso, loureiro, azevinho, hortênsia, lírio (folhas, raiz e partes suculentas), hera, lírio-do-vale, erva-de-passarinho, cogumelos, narciso, carvalho, espirradeira, filodendro, hera venenosa, alfena, jequiriti, estrela-de-belém, Senecio rowleyanus, Rhus diversiloba, ervilha-de-cheiro e Dieffenbachia (“comigo-ninguém-pode").

Outras substâncias que podem levar à intoxicação em um ambiente doméstico são determinados alimentos, medicamentos humanos, inseticidas domésticos, venenos contra ratos ou formigas, inseticidas para plantas e produtos de limpeza.

Qualquer produto de limpeza pode ser tóxico se ingerido, e por isso devem ser mantidos em local seguro. Desinfetantes à base de pinho e aqueles que contêm fenol (sendo o desinfetante Lysol o mais conhecido deles) são tóxicos para gatos e não devem ser usados em tigelas de alimentos ou nas áreas ocupadas pelos animais de estimação, local de dormir ou caixas de areia. Produtos que contêm etilenoglicol devem ser considerados perigosos e nunca devem ficar ao alcance dos animais de estimação.

Drogas capazes de intoxicar os gatos incluem o ácido acetilsalicílico, paracetamol, ibuprofeno, fenilbutazona, azul de metileno e fenazopirina, enemas à base de fosfato, entre vários outras. As coleiras de pulgas que contenham organofosforados também não devem ser utilizadas. O iodo deve ser diluído se aplicado na pele do gato, pois pode ser ingerido por lambedura ou causar queimaduras e irritações na pele.

Alimentos que contenham cebola também devem ser evitados, visto que esta é tóxica para felinos. Assim, as papinhas de neném são contraindicadas.

 

 

Simone Carvalho dos Santos Cunha é médica-veterinária (CRMV-RJ 8129) doutoranda da Universidade Federal Fluminense (UFF). Atualmente é mestranda na área de Clínica e reprodução veterinária pela UFF.


blog comments powered by Disqus

Mais acessadas do mês

Filhote do mês

Prev Next
Mel
Ted
Phiona

Quer ver seu pet aqui? envie uma foto com a historia dele para filhotedomes@idmed.com.br




Receba nossas notícias

Nome
Email


Quem somos|Publicidade|Fale Conosco