Busca

Senso de perigo em cãesOs cães têm senso de perigo?

É importante saber que não, os cães não têm noção do perigo. Nem a mãe ensina isso a eles. Para o cão, perigosos seriam pessoas, cães ou outros animais que invadissem seu território de maneira ameaçadora.

  

Quando ele é filhote e a casa tem escadas, ele sabe que pode ser perigoso?

Não, ele não sabe que isso pode ser perigoso. Eles podem até aprender que o dono não deixa subir e descer escadas, ou que se eles correrem muito rápido podem tropeçar e cair, mas nunca terão a noção de que o tombo pode ser feio ou mesmo que poderão ter problemas de coluna futuramente.

 

Eles sabem que, se fizerem algo, podem se machucar?

Eles só vão saber que vai machucar quando eles se machucarem. É um aprendizado. Por exemplo: um cão que sai para dar uma volta na rua não considera os carros perigosos. Eles podem aprender que devem aguardar para atravessar a rua, mas isso porque foram ensinados pelo dono ou por algum outro animal que aprendeu (quando foi atropelado) da forma mais difícil. Vamos dizer que eles não sabem que o carro pode matá-los. Para evitar que o cão seja atropelado, nunca deixe o cão sair para passear sem que ele esteja seguro com a coleira e a guia.

 

No caso de donos que têm piscina dentro de casa, os pets sabem que aquele é um local perigoso para a vida deles?

Geralmente os cães têm medo de altura (não que eles saibam que a queda possa machucar ou matar) e nadam mesmo que nunca tenham entrado na água, mas acidentes podem acontecer. Para evitar isso, o ideal seria cobrir a piscina e só deixá-la descoberta quando for usá-la. Os acidentes envolvendo a morte de cães em piscinas ocorrem, em sua maioria, devido à falta da escadinha ou de uma plataforma adaptada para o animal, bem como pelo fato de o dono não ensinar como usar esses meios de sair da água.

 

Quanto aos objetos no chão, quais cuidados são precisos para evitar acidentes?

A melhor coisa a ser feita é supervisionar o cão e ensiná-lo o que pode e o que não pode pegar. Os filhotes costumam ser mais curiosos e tendem a colocar qualquer coisa na boca para mastigar e brincar. Quando o animal (filhote ou adulto) é recém-chegado, a primeira coisa que deve ser feita é a remoção de todo e qualquer objeto pequeno que esteja espalhado pelo local, mesmo bibelôs de mesa, plantas e pequenos vasos. Com o passar do tempo, o dono pode ir adicionando aos poucos a decoração de volta, sempre ficando atento ao objeto e à atenção que o animal vai dar a esse objeto. Mesmo que o cão não insista em pegar, o ideal é que o dono ensine que não pode, sem bater e sem castigos, pois animal só entende bronca se for pego no flagra.

Agora coisas miúdas como agulhas, palitos de dente, pinça, tampinhas de garrafa devem ser retiradas da vista do animal para sempre, pois um cão é uma eterna criança de três anos...

 

 

Dra. Thaís Andressa Hernandes Arrebola é formada em Medicina Veterinária pela Universidade Estadual de Londrina (UEL) e atualmente cursa Mestrado em Ciência Animal pela Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE). CRMV-SP 28437


blog comments powered by Disqus

Mais acessadas do mês

Filhote do mês

Prev Next
Mel
Ted
Phiona

Quer ver seu pet aqui? envie uma foto com a historia dele para filhotedomes@idmed.com.br




Receba nossas notícias

Nome
Email


Quem somos|Publicidade|Fale Conosco