Busca

raivaA Raiva é uma doença causada por um vírus que provoca uma encefalite e leva o doente à morte em alguns dias após o início dos sintomas. É transmitida, principalmente, por um animal contaminado para pessoas ou outros animais, através de mordeduras, arranhaduras ou lambeduras de mucosas (olhos, boca, etc.). Os animais que adoecem e transmitem a doença são os mamíferos terrestres. Aves, répteis e anfíbios não são acometidos.

 

No Brasil existe apenas um caso comprovado de cura da doença (humano), em 2008. Em 2011 ocorreram três casos de raiva humana no Brasil, sendo dois transmitidos por cão e um por macaco, todos na região Nordeste.

 

Que animais de estimação podem adquirir raiva?

Cães e gatos são os principais animais domésticos que transmitem a doença ao homem, mas outros animais domésticos também podem ter a doença e ocasionalmente transmitir, como bois, cavalos, porcos. Existe também um ciclo entre morcegos – que transmitem a doença principalmente para bovinos, equinos e o homem, além de outros animais silvestres, sendo que no Brasil existem casos de raiva no homem transmitido por saguis (macacos, micos), raposas e cachorros-do-mato.

 

A raiva é causada pelo quê? O que ela desencadeia no organismo do animal?

A doença provoca uma paralisia progressiva, que pode ser antecedida de uma fase de excitação – fase furiosa –, percebida principalmente em cães. Há uma mudança de comportamento e o animal passa a não reconhecer o seu ambiente e o seu dono, foge da luz, para de comer ou passa a comer coisas não habituais (madeira, metais, etc.) e para de beber água. O som (latido, miado) se modifica, parecendo que o animal está rouco ou engasgado. A partir desse ponto, a paralisia progride até a morte. Alguns animais não apresentam a fase furiosa ou esta é muito curta e não percebida.

 

Qual é o período de incubação?

O período de incubação (da entrada do vírus no organismo até o aparecimento dos primeiros sintomas da doença) é bastante variável, podendo ser de dias até meses ou anos. Há estudos em cães e gatos que indicam que nessas espécies a transmissão pode se dar até cinco dias antes do início dos sintomas e perdurar até a morte.

 

Quanto tempo demora para os sintomas aparecerem? Neste tempo já é possível o contágio? O que é a chamada raiva furiosa?
A raiva furiosa corresponde à fase de excitação.


E a raiva muda?

A raiva muda corresponde à raiva paralítica, quando a fase de excitação não aparece.

 

Como prevenir a raiva?

A raiva é facilmente prevenível em animais domésticos pela vacinação anual. O Ministério da Saúde promove, anualmente, campanhas de vacinação para cães e gatos. Para a prevenção da raiva humana, basta iniciar o tratamento o mais breve possível após o contato, seguindo as orientações médicas, que podem variar da observação do animal agressor até a aplicação de soro e vacinas. Apenas cães e gatos são observados.



Como é feito o diagnóstico da doença?

O diagnóstico da doença é clínico e laboratorial, sendo que a comprovação normalmente é post-mortem, pela pesquisa do vírus no cérebro.

 

Filhotes podem pegar raiva?

Filhotes podem pegar a doença através do contato com a saliva de animal contaminado. Filhotes podem ter proteção parcial adquirida pela mãe, caso essa seja imunizada contra a doença.

 

Nessa idade a doença é mais perigosa?

Há registros de casos de raiva humana transmitida por filhotes, através de mordeduras e lambedura de mucosas.

 

Se um animal vacinado for mordido por outro com raiva, o que fazer?

Se um animal vacinado for agredido por animal suspeito de raiva ou raivoso, deve ser comunicado ao serviço de zoonoses local, pois a conduta pode variar conforme a idade, estado vacinal do animal e restrição de movimentos (confinado, semiconfinado ou solto).

 

Dra. Cristiana Ferreira Jardim de Miranda - CRMV 4164-MG - é Médica Veterinária, Mestre em Epidemiologia e Doutora em Epidemiologia e Medicina Veterinária Preventiva pela UFMG.


blog comments powered by Disqus

Mais acessadas do mês

Filhote do mês

Prev Next
Mel
Ted
Phiona

Quer ver seu pet aqui? envie uma foto com a historia dele para filhotedomes@idmed.com.br




Receba nossas notícias

Nome
Email


Quem somos|Publicidade|Fale Conosco