peixes e krill no marpeixes e krill no mar

Animais Filtradores: Descubra as Características e Exemplos

Animais filtradores são seres que conseguem separar seu alimento de um meio aquoso, utilizando estruturas especializadas.

O processo de alimentação por filtração é geralmente realizado em ambientes aquáticos e consiste em capturar o alimento e descartar a água para ingerir apenas a presa. Neste artigo, falaremos sobre as características e exemplos de animais filtradores.

Nosso objetivo é fornecer uma visão geral sobre essas espécies e como elas se alimentam. Abordaremos exemplos de mamíferos, aves, peixes e invertebrados filtradores, além dos diferentes tipos de animais ativos e sésseis.

peixes e krill no mar
peixes e krill no mar

Por fim, discutiremos o papel ecológico que os animais filtradores desempenham em ecossistemas aquáticos. Então, prepare-se para conhecer os animais que são verdadeiros especialistas em filtragem.

Esperamos que ao final deste artigo, você tenha um melhor entendimento sobre a importância desses animais na natureza.

O que são animais filtradores

Os animais filtradores são uma classe de seres vivos com uma alimentação peculiar. Eles obtêm sua nutrição em ambientes aquáticos, através do processo de filtragem. Apesar de o nome sugerir que somente seres aquáticos se enquadram nessa categoria, há também exemplos de animais filtradores terrestres, como algumas espécies de joaninhas.

Propósito do artigo Neste artigo, abordaremos as características e os exemplos de animais filtradores, mostrando como eles conseguem separar seu alimento de um meio aquoso. Além disso, destacamos o papel ecológico desses seres vivos nos ecossistemas aquáticos e sua importância na cadeia alimentar.

Alimentação por filtração Os animais filtradores têm como base alimentar a captura e separação de partículas orgânicas e inorgânicas suspensas na água. Essa captura é realizada por meio de estruturas especializadas, como brânquias, espinhos e placas filtrantes, que retêm as partículas alimentares. Posteriormente, os animais eliminam a água e ingerem somente as partículas retidas.

baleia
baleia

Ambientes aquáticos Os ambientes em que os animais filtradores ocorrem são, principalmente, aquáticos, como oceanos, rios, lagos e até mesmo poças d’água. Esses ambientes são ricos em partículas alimentares em suspensão, como plâncton, às quais os filtradores têm fácil acesso.

Tipos de alimentos Os animais filtradores têm uma dieta bastante variada e podem se alimentar de diferentes tipos de partículas, como plâncton, bactérias, algas, pequenos animais, plantas e restos de matéria orgânica. Esse tipo de alimentação é crucial para manter a limpeza e a saúde dos ambientes aquáticos.

Exemplos de mamíferos filtradores

Os mamíferos filtradores são poucos em número, mas suas adaptações são surpreendentes. O grupo é composto pelos misticetos, conhecidos como as baleias de barbatanas, cujo exemplar mais famoso é a baleia-azul, o maior mamífero da Terra.

Ao contrário dos outros mamíferos, essas baleias não possuem dentes funcionais. Em vez disso, eles tiveram as barbatanas evoluídas em placas flexíveis com quilhas ao longo de suas bordas internas, que fazem o papel de um filtro, permitindo que a baleia capture o maior número possível de alimentos enquanto a água passa por ela.

Quando a baleia está se alimentando, ela abre a boca e a enche de água e comida. Depois, ela empurra a água para fora através das placas de barbatanas para reter o alimento em seus lábios, antes de engoli-lo. A quantidade exata de água e alimentos que a baleia pode processar é impressionante – uma única baleia-azul pode filtrar até quatro toneladas de krill por dia!

baleia comendo
baleia comendo

Essa forma única de alimentação permite que as baleias de barbatanas se alimentem de animais filtradores, como pequenos crustáceos chamados krill, no tamanho certo para sua ingestão. As barbatanas das baleias também mudam de cor à medida que ficam cobertas com camadas de diatomáceas (plâncton) presas nelas, o que significa que, além de ajudar na alimentação, os filtros branquiais dessas baleias também podem fornecer pistas importantes para a idade da baleia e o acesso à fonte de alimentos.

Os misticetos são animais marinhos fascinantes com muitas adaptações que permitem que sejam os gigantes gentis dos oceanos. Suas barbatanas flexíveis são apenas uma das muitas adaptações que fazem deles alguns dos animais mais exclusivos que habitam nosso planeta.

Exemplos de aves filtradoras

As aves filtradoras desempenham um importante papel no ecossistema aquático, e os flamingos são um dos animais mais famosos por esse motivo. Essas aves possuem um sistema de filtragem muito especializado em sua língua, que é capaz de reter partículas minúsculas de alimentos, como algas e plâncton.

Os flamingos utilizam essa habilidade para se alimentar em ambientes de água salobra, onde a salinidade é alta demais para a sobrevivência de muitos seres vivos, causando assim uma escassez de alimentos. Para lidar com essa situação, as aves filtradoras se adaptaram para sobreviver nessas condições adversas.

Outra adaptação importante é a estrutura corporal em forma de perna longa, que permite que os flamingos se movam facilmente em águas rasas e procurem por alimentos sem se molhar totalmente. A bicicleta longa e fina também é uma ferramenta importante para ajudar na colheita de alimentos no ambiente aquático.

Os flamingos geralmente se alimentam de organismos filtrados, como o pequeno camarão Artemia, que é encontrado em águas salgadas. Suas dietas também podem incluir uma variedade de algas, plâncton e moluscos, dependendo da disponibilidade e da época do ano.

Essas aves interessantes têm um impacto ecológico significativo nos ecossistemas das regiões em que vivem, ajudando a regular a população de organismos menores e a manter a qualidade da água. Seu papel como animais filtradores é essencial para o equilíbrio ecológico desses habitats únicos.

Exemplos de peixes filtradores

Os peixes filtradores são uma classe especial de animais aquáticos que têm um mecanismo adaptativo incrível para sobrevivência em águas muitas vezes pobres em nutrientes. Seus filtros branquiais são especializados em capturar partículas alimentares em suspensão na água, enquanto permitem que o restante da água passe pelo corpo.

Esses filtros agem como uma peneira, capturando alimentos em pequenas partículas, como copepods e outros microorganismos aquáticos que podem cruzar o filtro por meio de correntes de água. Os peixes filtradores são extremamente diversos e variam em sua alimentação de acordo com as espécies. A maioria dos peixes filtradores tem uma dieta de plâncton, sendo divididos em herbívoros (que consomem algas e outros vegetais), carnívoros (que se alimentam de outros animais) e onívoros (que se alimentam tanto de vegetais quanto de animais).

As características do filtro branquial de um peixe filtrador são adaptadas à velocidade da água através dele, o tamanho do alimento, a forma do corpo do peixe e seu habitat. É importante notar que a alimentação por filtração é realizada sobretudo em águas lamacentas ou altamente turvas, nas quais a capacidade de encontrar presas por meio de visão ou outros sentidos é dificultada.

Algumas espécies de peixes filtradores incluem as carpas, os tambacus, o sargo e os bagres. Esses peixes têm uma estrutura única em seus corpos que lhes permite usar suas brânquias para filtrar o alimento em suspensão na água. Ao contrário do processo de alimentação da maioria dos peixes, os peixes filtradores não precisam correr para pegar suas presas. O processo é muito mais passivo, dependendo das correntes de água para trazer o alimento aos seus sistemas de filtragem.

Alguns peixes filtradores têm até mesmo um mecanismo projetado para direcionar as correntes de água para suas bocas e brânquias, para maximizar sua eficiência de alimentação. Em suma, a alimentação por filtração pode ser algo inusitado para muitas pessoas, mas é uma adaptação única e valiosa para muitas espécies de animais aquáticos.

A fim de sobreviver em águas em constante movimento, os peixes filtradores têm evoluído com um sistema de filtragem altamente especializado que lhes permite capturar seus alimentos com extrema eficiência. Isso demonstra a incrível diversidade e adaptabilidade da vida em nossos oceanos e rios.

Exemplos de invertebrados filtradores

Os animais invertebrados filtradores são um grupo bastante diverso e interessante de animais aquáticos. Eles possuem um papel importante nos ecossistemas aquáticos e podem ser encontrados em diversos habitats, desde águas superficiais até as profundezas dos oceanos. Eles têm estruturas corporais que os capacitam a filtrar a água para obter nutrientes e alimentação, como veremos a seguir.

Os moluscos bivalves são um grupo de animais filtradores bastante comuns e conhecidos. Dentro deste grupo, encontramos as ostras, vieiras e mexilhões. Esses animais possuem brânquias especiais que lhes permitem separar partículas alimentares da água e direcioná-las para sua boca.

As ostras utilizam seus cílios para sugar a água e filtrar partículas de alimento para dentro de sua concha, enquanto os mexilhões possuem um conjunto de filamentos chamados cirros, que capturam partículas de alimento em suspensão na água.

As esponjas são um dos invertebrados mais bem adaptados para a filtração. Elas são conhecidas por terem um dos sistemas corporais mais simples de todos os animais, consistindo em um conjunto de câmaras e canais internos. Essas câmaras possuem células chamadas coanócitos que geram correntes de água para dentro da esponja. Os coanócitos também possuem flagelos que retêm partículas de alimento em suspensão na água, permitindo que a esponja as absorva e as utilize posteriormente.

Os crustáceos também são invertebrados filtradores bastante diversificados. O krill é um tipo de crustáceo parecido com o camarão, que se alimenta filtrando fitoplâncton. Eles possuem cerdas no interior de suas pernas, que servem como uma rede para capturar partículas de alimento.

Já os misidáceos são um tipo de crustáceo que vive em mares rasos e também dependem do fitoplâncton para se alimentar. Eles possuem “cestas de alimentação” que filtram a água e retêm as partículas alimentares.

Além disso, muitos outros invertebrados filtradores fazem parte da fauna marinha, como os quetognatas, as salpas e as tunicatas. Esses animais também possuem estruturas corporais especializadas que permitem que eles filtrem a água para obter alimento.

Com isso, podemos concluir que os animais invertebrados filtradores são importantes para manter a biodiversidade nos ecossistemas aquáticos.

Eles atuam na purificação da água, removendo partículas de sujeira e outros poluentes, além de serem uma importante fonte de alimento para outros animais na cadeia alimentar. Em geral, são animais que têm adaptado sua anatomia e fisiologia para sobreviver em ambientes aquáticos, e que são fascinantes de se estudar.

Papéis ecológicos dos animais filtradores

Animais filtradores, como discutimos anteriormente, desempenham um papel crucial no ecossistema aquático, não apenas como consumidores de diferentes tipos de alimentos, mas também como purificadores da água. Esse processo é chamado de renovação da água, vital para manter a estabilidade do micro habitat.

A capacidade dos animais filtradores de retirar partículas orgânicas e inorgânicas da água mantém a água límpida e ajuda a prevenir a poluição. Isso faz deles importantes aliados em todo o mundo, especialmente em áreas em que a qualidade da água é um problema.

Outra função importante dos animais filtradores na ecologia de ambientes aquáticos é seu papel na cadeia alimentar. Como parte do primeiro nível da teia alimentar, eles são a base para muitas espécies, incluindo peixes, aves e mamíferos predadores.

Ao retirar as partículas da água e armazená-las em seus corpos, os animais filtradores aumentam a biodiversidade e garantem que diferentes nutrientes cheguem a todos os níveis da cadeia alimentar. Além disso, como mencionamos antes, eles ajudam a diminuir a concentração de impurezas na água e, assim, previnem a contaminação e a presença de espécies invasoras.

Os animais filtradores também possibilitam o estudo de diferentes áreas da biologia ecológica, especialmente em termos de nutrição, comportamento e resposta às mudanças climáticas e alimentares.

A compreensão desse grupo diverso de animais é fundamental para a conservação da vida aquática e do planeta em geral. Assim, os animais filtradores merecem a atenção e a apreciação de todos nós.

Com sua capacidade única de limpar e manter a água limpa, além do importante papel na cadeia alimentar, eles são essenciais para o ecossistema aquático.

Conclusão

Como foi possível descobrir lendo este artigo, animais filtradores possuem uma incrível capacidade de encontrar seu alimento na água, seja ele de origem vegetal ou animal.

Os animais mencionados neste texto possuem várias formas de alimento e maneiras de filtração para obtê-lo.

Entre eles, podemos citar as baleias de barbatanas, flamingos e moluscos bivalves como alguns dos exemplos mais curiosos.

Com sua capacidade de filtragem, esses animais são capazes de limpar e purificar ambientes aquáticos, o que faz deles uma parte valiosa dos ecossistemas marinhos. Esperamos que este artigo tenha ajudado você a entender melhor essas fascinantes criaturas.

By Prof.ª Dr.ª Kelly Cristine de Sousa Pontes

Pós-doutora em Medicina, na área de Oftalmologia e Oncologia, pela Leiden University – Holanda e Doutora em Cirúrgicas e Anestésicas Aplicadas aos Animais, pela Universidade Federal de Viçosa

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *