Filhote Bono: o mais novo integrante do Corpo de Bombeiros de Santa Catarina

Bom dia, querido leitor! Hoje temos uma notícia incrível: o filhote Bono é o mais novo integrante do Corpo de Bombeiros de Santa Catarina!

Com uma herança genética incrível de seus antecessores, Ice e Malu, que já atuaram na corporação, Bono dará continuidade a “tradição familiar” ao se juntar a outros cães treinados em busca e salvamento.

A linhagem de labradores para buscas está sendo desenvolvida pela corporação, e Bono é filho da cadela Lua, que foi doada, e do pai, que atua na Polícia Militar do Rio de Janeiro.

E aí, já está ansioso para saber mais sobre o treinamento do cãozinho? Continue lendo para descobrir como ele está sendo preparado para se tornar um verdadeiro herói!

Filhote Bono: Nascimento e linhagem

Nascido no Rio de Janeiro, o filhote Bono é uma nova geração de cães de busca e resgate do Corpo de Bombeiros de Santa Catarina. Ele tem uma herança genética de qualidade, proveniente da linhagem de labradores que a corporação está desenvolvendo para buscas.

Sua mãe, a labradora catarinense Lua, foi doada ao Corpo de Bombeiros Militar do Rio de Janeiro e o pai é um labrador da Polícia Militar do Rio de Janeiro. Com apenas 5 meses de idade, Bono já está trabalhando ao lado do cabo Matheus Premoli, mostrando qualidade ao longo dos treinamentos realizados diariamente.

O treinamento do filhote é responsabilidade do bombeiro militar e os dois estão criando laços afetivos a partir da convivência diária na casa do condutor. Para se tornar um cão de busca, os animais precisam passar por provas de certificação a partir de 18 meses de idade e Bono já está sendo preparado para isso desde agora.

Todo o processo de treinamento é voltado para a adequação e socialização do filhote e estimula a curiosidade do animal em diferentes tipos de terrenos e situações.

Treinamento do filhote Bono

O filhote Bono está sendo treinado pelo cabo Matheus Premoli para ser um dos cães de busca e salvamento do CBMSC. O condutor reconhece a carga genética de qualidade que o filhote já tem em si, mas também sente a pressão de que o seu trabalho seja perfeito para atender às expectativas da corporação. Por isso, o treinamento e a dedicação precisam ser impecáveis.

Durante o treinamento, o filhote de apenas 5 meses já demonstra habilidades necessárias para o serviço. Mas é fundamental que o processo seja feito de forma brincalhona e prazerosa para o animal. O diferencial dos cães de busca do CBMSC é que eles residem na casa dos condutores, o que permite a construção de laços afetivos e cuidados diários.

A equipe responsável pelo treinamento do filhote Bono já está adestrando-o em diferentes situações para prepará-lo para os testes de certificação, que acontecem a partir de um ano e meio de vida. O objetivo dos treinos é desenvolver ainda mais a curiosidade e as habilidades do animal.

O cabo Matheus salienta que o treinamento do cão de busca e salvamento não é uma tarefa fácil. O processo exige paciência e dedicação para que o animal possa se desenvolver e se preparar para o trabalho árduo que o aguarda. Além disso, durante o processo, o filhote Bono precisará se acostumar com diferentes tipos de terrenos e situações para que possa estar preparado para as mais diversas ocorrências.

Por isso, o trabalho de treinamento deve se limitar ao bombeiro, já que o animal deve se divertir e passar por momentos prazerosos durante o processo. Isso também ajuda a criar um vínculo de afeto entre o cão e seu condutor, o que pode ser muito benéfico para um trabalho conjunto eficiente no futuro.

A dedicação e o processo de treinamento do filhote Bono, assim como de todos os cães de busca e salvamento do CBMSC, são fundamentais para garantir que esses animais sejam capazes de cumprir a missão de salvar vidas. E, com o amor que esses bombeiros possuem pelos cães e a determinação para torná-los cães de busca e resgate eficientes, não há dúvida de que Bono e seus colegas são excelentes exemplos de que esses animais são verdadeiros heróis.

Cães de busca do Corpo de Bombeiros

Os cães de busca do Corpo de Bombeiros são animais treinados para atuar em resgates de pessoas ou de objetos em situações de emergência.

Para que possam exercer essa função, é obrigatório que os cães passem por provas de certificação a partir dos 18 meses de vida. Durante esses testes, os filhotes são apresentados a diferentes terrenos e situações, estimulando a curiosidade do animal.

É importante lembrar que o treinamento dos cães deve ser divertido, focado em brincadeiras diárias e construção de laços afetivos entre o animal e seu condutor. Além disso, é necessário que os cães de busca morem na casa dos condutores, garantindo a atenção diária e afeição.

Os cães de busca do Corpo de Bombeiros de Santa Catarina são treinados para trabalhar em diferentes terrenos, sendo capazes de se adaptar a qualquer situação. Isso é fundamental para que possam atuar em locais de difícil acesso, como montanhas, florestas ou áreas alagadas.

Por possuírem um faro altamente desenvolvido, os cães de busca são excelentes para localizar pessoas desaparecidas ou objetos perdidos em locais de difícil acesso. Com um treinamento adequado, esses animais conseguem farejar até mesmo o cheiro de uma pessoa soterrada debaixo de escombros.

Em suma, os cães de busca são fundamentais para a atuação do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina. Graças a esses animais, muitas vidas já foram salvas em situações de emergência.

Conclusão

Embora os cães de busca do Corpo de Bombeiros possam ser considerados animais excepcionais, não podemos esquecer que eles são animais, e como tal, merecem cuidados e atenção. Esses cães são importantes para as operações de busca e resgate, salvando vidas e trazendo sossego para famílias inteiras. É um trabalho árduo, mas extremamente gratificante e necessário. Esperamos que a inclusão de Bono no Corpo de Bombeiros de Santa Catarina ajude ainda mais nas operações de busca e resgate do estado!