cachorro no naviocachorro no navio

Conheça os Três Cachorros Sobreviventes do Naufrágio do Titanic

Algumas histórias são tão incríveis que parecem ser ficção, mas é difícil negar que algumas vezes a realidade é mais estranha do que nossos sonhos mais loucos.

Contexto histórico do naufrágio do Titanic: O Titanic era considerado o navio mais luxuoso e seguro de sua época, mas seu destino mudou em 15 de abril de 1912. O navio colidiu com um iceberg e afundou no Oceano Atlântico, levando cerca de 1500 pessoas consigo. O naufrágio chocou o mundo e se tornou um dos maiores desastres marítimos da história.

Quem eram os cães e seus proprietários: A bordo do Titanic estavam passageiros de todas as classes sociais, incluindo alguns ricos e famosos. Entre esses passageiros estavam três cachorros de diferentes raças e seus proprietários. Rigel, um cachorro sobrevivente, pertencia a um passageiro da primeira classe.

Já um pequeno Poodle Miniatura pertencia a Henry Sleeper Harper e sua esposa, passageiros da primeira classe. O terceiro cachorro era um Fox Terrier, pertencente a um passageiro da terceira classe. Apesar das origens diferentes, esses cães teriam uma ligação única, sobrevivendo juntos ao naufrágio mais famoso da história.

Primeiro cachorro sobrevivente: Rigel

História de Rigel antes do Titanic: Rigel era um cão pastor da raça Samoieda. Ele foi criado pelo dono, um criador de cães, num local próximo a Trenton, Nova Jersey. Thomas Andrews, projetista do navio, era amigo do dono do cão, por isso, Rigel viajou para Nova York a bordo do Titanic com os seus proprietários Henry e Myra Harper.

Rigel no naufrágio do Titanic: Quando o Titanic atingiu o iceberg, Rigel estava com seus donos no convés. Ele conseguiu saltar para um bote salva-vidas e foi resgatado pelo RMS Carpathia juntamente com outros sobreviventes.

cachorro no navio
cachorro no navio

Henry Harper mais tarde afirmou que foi graças a Rigel que chegaram a tempo de salvar sua esposa Myra, já que o cachorro “latiu” muito forte, o que impediu a mulher de cair em um dos botes que batiam nas laterais do navio, quando as condições de nevasca se intensificaram.

Não é surpreendente que Rigel tenha sobrevivido ao naufrágio do Titanic, considerando o fato de que os Samoiedas são cães de trenó originários da Sibéria. Rigel viveu mais seis anos após o naufrágio e passou o resto de seus dias com os Harpers em Quebec, no Canadá.

Segundo cachorro sobrevivente: um Poodle miniatura

Você provavelmente já deve ter ouvido falar que animais têm um sexto sentido quando se trata de coisas perigosas. Bem, isso pode ter sido o que salvou a vida de um lindo Poodle miniatura, um dos três cachorros que sobreviveram ao naufrágio do Titanic.

Quem era o cachorro e seus proprietários: Este cachorro sortudo era propriedade de Henriëtte Yrois, uma mulher francesa que viajava na primeira classe do Titanic na companhia do marido, Robert. Eles não eram apenas os proprietários do cachorro, mas também dos famosos Armagnac e Brandy, dois peixes dourados que eram mimados pelos tripulantes do navio.

Como ele sobreviveu ao naufrágio: Enquanto muitas pessoas lutavam para chegar aos botes salva-vidas do Titanic, Henriette não hesitou na hora de proteger seu querido Poodle. Ela o embrulhou em um cobertor e carregou como se fosse seu filho. Apesar de todo o caos e do desespero, o Poodle permaneceu calmo e foi capaz de sobreviver ao naufrágio ao lado de sua dona.

Este pequeno cachorro de sorte foi resgatado pelo navio de resgate RMS Carpathia e levado com segurança para Nova York, onde logo se tornou um dos animais mais populares na cidade. Henriëtte e seu cachorrinho foram recebidos com festa pelos jornalistas e não demorou muito para que ele se tornasse uma espécie de celebridade. Não era incomum vê-lo posando para fotos com fãs entusiasmados ou até mesmo sendo convidado para festas de alta sociedade.

cachorro uivando
cachorro uivando

E assim, graças à sua intuição natural, ao amor protetor de Henriëtte e ao destino, esse Poodle miniatura provou que age como um verdadeiro herói. Ele lutou contra as adversidades do naufrágio do Titanic e emergiu triunfante, pronto para desfrutar de sua fama recém-descoberta e de sua vida feliz em Nova York.

Terceiro cachorro sobrevivente: um Fox Terrier

O terceiro e mais sortudo cão a sobreviver ao naufrágio do Titanic foi um Fox Terrier chamado Dog. Seu dono, Robert William Daniel, era um passageiro da primeira classe do navio que viajava com sua esposa, duas filhas e seu cachorro de estimação.

A história de como Dog sobreviveu ao naufrágio é bastante intrigante. Quando o navio começou a afundar, Robert colocou o cachorro em um saco de couro e conseguiu colocá-lo em um dos botes salva-vidas do navio.

Surpreendentemente, o cão foi o último a ser resgatado e foi encontrado pelo navio Carpathia nadando ao redor dos destroços do Titanic.

Felizmente, Dog foi salvo e se reuniu com seu dono quando chegou a Nova York. Infelizmente, Dog morreu pouco tempo depois, em setembro daquele mesmo ano, em um incêndio em sua casa em Paris. Robert e sua família estavam viajando no momento do incêndio e Dog foi a única vítima.

A história de Dog é um lembrete triste de como nossos amigos peludos também foram afetados pelo trágico evento do Titanic.

Conclusão

E assim chegamos ao final da história dos três cachorros sobreviventes do naufrágio do Titanic. Apesar da tragédia terrível, esses animais de estimação tiveram a sorte de escapar com vida.

Suas histórias nos dão uma visão única do que aconteceu naquela noite fatídica.

Rigel lutou bravamente nas águas geladas do Atlântico Norte; o poodle miniatura foi secretamente colocado em um colete salva-vidas por sua proprietária; e o Fox Terrier escapou em um bote salva-vidas.

Esses cães nos lembram que, mesmo nas situações mais terríveis, a amizade e o amor de um animal podem nos dar esperança e nos manter unidos.

By Prof.ª Dr.ª Kelly Cristine de Sousa Pontes

Pós-doutora em Medicina, na área de Oftalmologia e Oncologia, pela Leiden University – Holanda e Doutora em Cirúrgicas e Anestésicas Aplicadas aos Animais, pela Universidade Federal de Viçosa

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *