senhora

Estudo comprova que cães fazem bem para a saúde de idosos

Os cães são considerados o melhor amigo do homem e, segundo um estudo, eles também são bons para a saúde dos idosos.

À medida que envelhecemos, o isolamento social e a solidão podem se tornar uma parte integrante da vida.

É aí que entrar um novo membro na família pode fazer toda a diferença. Este estudo mostra que ter um cão pode reduzir o estresse, aumentar a atividade física e melhorar a saúde mental e emocional de um idoso. Vamos dar uma olhada nos benefícios mais detalhadamente.

Benefícios dos cães para idosos

Cães ajudam a combater a solidão

Um dos principais benefícios que os cães oferecem aos idosos é ajudá-los a combater a solidão. Ao passar tempo com o cão, o idoso tem a companhia necessária e pode se sentir menos solitário. Eles podem brincar com o cão, falar com ele e abraçá-lo, o que ajuda a diminuir a solidão que muitos idosos sentem.

Cães ajudam a reduzir o estresse

Outro benefício dos cães para idosos é que eles ajudam a reduzir o estresse. A pesquisa mostrou que, quanto mais os idosos passam tempo com seus cães, menor é o seu nível de estresse. Os cães trazem alegria e animação, além de proporcionar um ambiente mais relaxado em casa.

Cães ajudam a aumentar a atividade física

Os cães também ajudam os idosos a se manterem fisicamente ativos. Quando um idoso possui um cão, ele precisa passear com ele regularmente. O passeio com o cão não apenas ajuda a manter o idoso fisicamente ativo, mas também ajuda a melhorar o seu humor. Além disso, os cães são ótimos para os idosos que possuem problemas de mobilidade, incentivando-os a sair e se mover.

Cães ajudam na terapia ocupacional

Por fim, os cães também são úteis como uma forma de terapia ocupacional para os idosos. Eles fornecem um propósito e responsabilidade para o idoso, ajudando a preencher seu tempo encontrando formas para cuidar do animal. Além disso, a companhia do cão pode ajudar a melhorar o humor e reduzir a ansiedade do idoso.

Benefícios físicos e emocionais

Redução do risco de doenças cardíacas e derrames

O fato de possuir um cão também pode ajudar na saúde física do idoso, diminuindo o risco de doenças cardíacas e derrames. Pesquisadores sugerem que a presença do cão pode reduzir o nível de estresse do idoso, e, consequentemente, a pressão arterial. Além disso, os cães ajudam na redução dos índices de depressão.

Melhora da saúde mental e emocional

Os cães também têm um impacto positivo na saúde mental e emocional do idoso. Cães são companheiros de estimação leais que fornecem amor e apoio sempre que necessário. Eles proporcionam conforto emocional, e podem aliviar a solidão e a ansiedade.

Fortalecimento do sistema imunológico

Outro benefício dos cães é o aumento do sistema imunológico dos idosos. As pesquisas sugerem que a exposição ao tipo certo de bactérias encontradas em animais pode ajudar o sistema imunológico a se fortalecer. Portanto, possuir um cão pode ajudar a prevenir doenças e outras enfermidades.

Melhora da qualidade do sono

Por fim, muitos idosos têm dificuldade para dormir. No entanto, a pesquisa sugere que a presença de um cão pode ajudar a melhorar a qualidade do sono. É reconfortante dormir com um cão por perto, o que ajuda a reduzir o nível de ansiedade e insônia no idoso.

Manter um cão em casa pode trazer diversos benefícios para idosos, tanto no aspecto físico quanto emocional. Confira abaixo as principais vantagens para a saúde:

Redução do risco de doenças cardíacas e derrames

De acordo com estudos científicos, os idosos que possuem cães em casa apresentam menor risco de desenvolver doenças cardiovasculares e derrames cerebrais. Isso ocorre devido à prática de exercícios físicos diários, que melhoram a circulação sanguínea e reduzem a pressão arterial. Além disso, a companhia do animal eleva os níveis de ocitocina no organismo, substância que ajuda a diminuir os níveis de estresse e ansiedade, fatores que, por sua vez, podem contribuir para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

Melhora da saúde mental e emocional

Os benefícios dos cachorros vão além da questão física. Eles podem ajudar na melhora da saúde mental e emocional dos idosos, já que interagem e proporcionam um senso de propósito e afeto. Muitos idosos se sentem sozinhos e desmotivados após a aposentadoria e a perda de entes queridos. Contudo, a companhia do cão pode combater a solidão e aumentar a autoestima, gerando mais ânimo e disposição para enfrentar os desafios diários.

Fortalecimento do sistema imunológico

A convivência com cães também pode fortalecer o sistema imunológico dos idosos, graças a uma série de fatores. Primeiramente, o simples contato físico com o animal permite a transferência de micro-organismos benéficos, que ajudam a proteger o organismo contra doenças. Além disso, muitos cachorros adoram passear ao ar livre, e essa rotina é uma excelente oportunidade para os idosos se exporem à luz solar e aumentarem a ingestão de vitamina D, importante para a manutenção do sistema imunológico.

Melhora da qualidade do sono

Por último, cabe ressaltar que a convivência com cães pode melhorar a qualidade do sono dos idosos. Isso porque a presença do animal na cama pode transmitir uma sensação de segurança e conforto, semelhante ao abraço de um ente querido. Assim, os idosos tendem a adormecer com mais facilidade e a ter um sono mais tranquilo e reparador, o que é essencial para manter a saúde física e mental em dia.

Em suma, manter um cachorro em casa traz uma série de benefícios para a saúde dos idosos, melhorando a qualidade de vida e proporcionando mais alegria e bem-estar.

Considerações finais

Benefícios dos cães para idosos são incontáveis. Além de ajudarem a combater a solidão, reduzir o estresse e aumentar a atividade física, cães também são úteis na terapia ocupacional.

Além disso, ter um cão pode ajudar a reduzir o risco de doenças cardíacas e derrames, melhorar a saúde mental e emocional, fortalecer o sistema imunológico e melhorar a qualidade do sono.

Por esses motivos, é fácil entender por que tantos idosos escolhem ter um cão como companheiro.

Aumentar a qualidade de vida, não importa como, é sempre uma boa escolha.